03 November 2008

39 - CARTAS DA BEIRA DO INDICO (2)

CARTAS DA BEIRA DO INDICO

(2)


FÉRIAS EM MOÇAMBIQUE

(2008/2009)



1 – REVIVER A CIDADE DE MAPUTO



Depois das primeiras notícias, que deram conta da nossa chegada a Maputo e umas breves notas sobre a cidade e estado de espírito da sua população relativamente ao custo de vida e às eleições autárquicas que se aproximam, é altura de falar das coisas positivas que já foi possível observar durante os primeiros quinze dias de estadia na capital de Moçambique.

Diria que há muito por onde escolher visto que nos dois últimos anos muitas coisas foram feitas que ressaltam à vista e que tornam a cidade mais acolhedora, a começar pelas ruas e avenidas que em grande parte foram restauradas. É notória esta melhoria praticamente em toda a cidade e nas vias de acesso à mesma! A própria marginal, desde a cidade até ao restaurante da Costa do Sol, foi igualmente reabilitada, inclusivé as muralhas protectoras que o mar vinha comendo desde há uns bons anos a esta parte!

A coqueluche da cidade é agora o grande centro comercial da Baixa, o Shoping MBS, ali junto da Capitania! É uma obra de grande envergadura em qualquer parte do mundo e passou a ser o local mais frequentado pela camada da população que procura as boas lojas para as suas compras, cinemas (ainda em fase de acabamentos), restaurantes, cafés ou simplesmente como ponto de encontro visto que ali existem excelentes espaços para o efeito.

Na periferia, os bairros residenciais, praticamente todos em condomínio fechado, cresceram imenso e é de pasmar verem-se ali inumeras vivendas de grande qualidade, autênticas mansões que nada ficam a dever às da Quinta da Marinha!

Os órgãos de comunicação social, como jornais, revistas, rádios e televisões, deram passos gigantes em frente na forma como informam e comunicam com a população, nomeadamente na apresentação quotidiana das notícias, agora mais frontais, sejam elas de carácter político, financeiro ou social. Membros do governo, dos partidos, empresários, funcionários públicos, gestores de empresas ou simples cidadãos, são levados à praça pública sem rodeios, por vezes até com devassa da sua vida privada, para gáudio da classe jurídica que não tem mãos a medir com os processos de defesa dos seus constituintes!

Embora muitos órgãos de informação escrita tenham sido criados neste país depois da sua independência, a verdade é que a maioria foi ficando pelo caminho. Prevalecem os históricos “Notícias” e “Domingo”, assim como os mais recentes “Savana”, “Zambeze”, “País”, “Escorpião”, “Magazine”, “Fim de Semana” (este de caris sensacionalista, tipo faca e alguidar) e o recém criado semanário “ @ Verdade”, de distribuição gratuita.

A concorrência neste sector é grande e as audiências dividem-se consoante a formação, cultura ou gostos de cada um. Regra geral, todos andam bem informados, sobretudo quando a “roupa suja” e os escândalos dizem respeito à sociedade de topo, que ultimamente tem sido passada a pente fino por causa da má gestão de algumas empresas e ministérios.

Mas nem só disso vive a população, sobretudo a classe média deste país, que tem nas cidades uma considerável representação e bem precisa de passatempos nas suas próprias casas. Disso se encarregam as várias estações de televisão de canal aberto, nomeadamente TVM, STV, MIRAMAR, TIM, RTP África, RTI e TV Globo, que impingem os mais variados programas, como telenovelas, concursos, “praças d'alegria”, sessões de igreja maná, etc., etc. As rádios, bem mais populares porque são mais acessíveis à maioria da população, não se ficam atrás e desenvolvem também um grande papel na comunicação.

A sociedade actual assim o exige e as empresas precisam de vender os seus produtos!




2 - DEAMBULANDO PELA CIDADE



Desinibido já de conduzir pela esquerda e no meio da confusão que os “chapas” provocam , destinei o dia de hoje para deambular, sozinho, pela cidade! Peguei na máquina fotográfica e abalei por essas ruas e avenidas, desde a Coop à Baixa, da Polana ao Alto Maé, da cidade ao aeroporto, passando pelos bairros centrais nos vários sentidos, justamente para avaliar do estado das mesmas, face às mudanças radicais que se verificaram nos últimos dois anos!

Na verdade é consolador andar na maioria dessas ruas e avenidas, assim como nas vias de acesso à cidade, pois que o asfalto chegou lá, finalmente, após tantos anos de uma degradação confrangedora. Algumas dessas artérias haviam perdido já esse nome e eram conhecidas pelas “picadas de Maputo”!

Está de parabéns o dinâmico presidente (demissionário) do Município, Eneas Comiche, figura incontornável desta cidade que desde a independência do país, em 1975, tem exercido altos cargos no governo!

Estão de parabéns, também, os habitantes desta maravilhosa cidade das acácias, que em boa hora souberam eleger este cidadão para a presidência do seu Município!

Naturalmente (e já se fala em surdina), que outro alto cargo espera o homem que devolveu à cidade capital grande parte da sua dignidade urbanís
tica!

Pena é que o outro sector igualmente degradado, que são os edifícios de construção pré independência, não tenha recebido ainda o mesmo tratamento, pois estão, na sua maioria, bem precisados de uma lavagem de cara!

Nessas andanças por aí, tive a oportunidade de ver e fotografar novos cartazes, alguns de excelente efeito e com slogans bem ao jeito africano e muito elucidativos do que se passa e projecta neste país, assim como prédios novos, vistas da cidade e alguns pormenores do quotidiano da população.






3 - COMEMORAÇÕES DO DIA DA CIDADE


De entre as revistas e jornais que folheei nos últimos dias, o que mais me prendeu a atenção foi justamente o novel "@ VERDADE", (com uma edição de 50.000 exemplares). Metade da sua primeira página e a totalidade da segunda, da edição nº 10, de 29 de Outubro findo, são ocupadas por um interessante passatempo designado de “As sete maravilhas da cidade de Maputo”. Uma breve nota explica que esta iniciativa foi inspirada nas consagradas “Sete Maravilhas do Mundo Antigo” e que se insere nas festividades a terem lugar no próximo dia 10 para assinalarem os 121 anos da elevação de Maputo (ex-Lourenço Marques) a cidade!

O jornal seleccionou 14 locais – edifícios, pontos geográficos, históricos, etc. - para que os leitores elejam os 7 que virão a ser designados de as “7 Maravilhas de Maputo”.

Esta iniciativa é francamente do agrado de muitos citadinos e por a achar tão interessante julguei por bem trazê-la a esta “Carta”, ciente que muitos serão os que me acompanham nesta opinião, sobretudo depois de verem as fotos!




4 – DOCUMENTÁRIO FOTOGRÁFICO






Fotos extraídas do jornal "@Verdade"



Fachada do Shoping MBS virada para Capitania


Fachada virada para a Pendray & Sousa


Avenida Eduardo Mondlane (ex-Pinheiro Chagas) vista do Alto Maé


Um artesão acaba a sua obra na Julius Nhyerere


Bonito cartaz das LAM junto da rampa da Ponta Vermelha

Cartaz da NOKIA na 25 de Setembro (ex-Av da República)


Cartaz da Mcel na Julius Nhyerere (ex-António Enes). Neste mesmo lugar esteve até há pouco tempo, outro com a imagem da grande atleta Lurdes Mutola!


Cartaz móvel junto da Escola Náutica

Cartaz da Mcel na Eduardo Mondlane


A bem conhecida mangueira dos Velhos Colonos. Este ano está bem carregada, não obstante a poluição.


A Catembe, ao longe, vista da marginal junto da Facim


A bela fruta moçambicana!

Hotel (mais um) em construção na baixa da cidade. Ao fundo o eterno 33 andares!


As acácias vermelhas começaram a florir. Esta está já bem composta!



Franjipane e buganvílias na rua K.Nkrumah (antiga rua de Nevala)



Marginal junto da FACIM


Rampa da Ponta Vermelha para a Escola Náutica (antigo Clube Náutico), ao fundo.

Venda de batiques na Julius Nhyerere
Durante as deambulações pela cidade deu para visitar amigos. Na foto com o carismático Silva da Minerva

Outro amigo que visitei na sua casa da Matola - o Arnaldo Correia!
Venda de fruta nos passeios junto da Coop

Cartaz da EDM na Av. Eduardo Mondlane



Saudações amigas, aqui da beira do Indico!




Maputo, 3 de Novembro de 2008

Celestino (Marrabenta)






3 comments:

Manuel Palhares said...

Meu caro Celestino,

Assim como fiz com a primeira carta, também esta foi objecto de leituras e releituras, as quais me provocam um misto de alegria e gratidão por tudo o que nos relatas, mas também uma nostalgia saudosa de todos esses sítios, de todos esses lugares. Por mais esta maravilhosa reportagem, alicerçada em lindas fotografias, o meu obrigado.
Terás em mim um leitor sempre atento e ávido de tudo o que publicares!
A continuação de tempos felizes, na companhia dos teus familiares e amigos.
Um beijinho para a titi Lurdes e um grande abraço para ti, do

Manuel Palhares

Kid said...

Meu bom amigo Celestino:
Antes de mais o meu abraço de saudades para ti e Sra. D.Lurdes.
Aqui nos presenteias com mais umas das tuas maravilhosas crónicas e ainda por cima cravejadas de imagens que nos são tão queridas. Goza bem a tua estadia por aí e faz, de alguma forma, por passares o amor que sinto a esse país e às suas gentes.
Vai ver os mails, tens lá convites meus para aceitar.

Para o casal "Marrabenta" o meu carinho.

VP

carlosschmidt said...

Meus queridos amigos...fico delirado com estas narrativas de ti meu "velho". Nem Camoes (e como eu o respeito...)mas e um enorme prazer ler e reler estes teus relatos e ver essas fotos onde ha um ano atras eu calcorrei nessas ruas de Lourenco de Marques.
Beijos e abracos para todos vos...