27 January 2009

50 - CARTAS DA BEIRA DO ÍNDICO



CARTAS DA BEIRA DO ÍNDICO

(11)

FÉRIAS EM MOÇAMBIQUE

(2008/2009)


ENCONTROS COM VELHOS AMIGOS



Hoje vivi um dia excepcional aqui em Maputo, visitando e convivendo com alguns velhos amigos!
Apesar do calor que já se fazia sentir saí de casa pelas dez horas já com o termómetro nos 35 graus!

Rumei para a baixa da cidade, pelo percurso habitual da avenida Lenine (antiga Elias Garcia), que da Coop à Capitania (cerca de 4 Km) levou mais de meia hora a percorrer por causa do trânsito sempre complicado nesta movimentada artéria.


O dia fora destinado a visitar e conviver com alguns amigos, dois dos quais ainda não tinha visto desde que cheguei. Comecei pelo prédio 33 andares, situado como se sabe em frente à Imprensa Nacional, onde contava encontrar um deles - o Medina -, mas bati com o nariz na porta já que o mesmo se mudara dali nos últimos dias para novo escritório na avenida Karl Marx (antiga Manuel de Arriaga). O telemóvel desde logo ajudou a resolver o problema e em poucos minutos este velho amigo (antigo professor em Inhambane e agora contabilista), veio ao meu encontro.

O lugar escolhido - o café no corredor central do prédio – não foi dos melhores porque sendo o Medina ali muito conhecido fomos interrompidos a cada passo pelas muitas pessoas que o quiseram saudar. Uma delas abancou mesmo à nossa mesa para participar na cavaqueira e assim a privacidade do nosso encontro acabou por ali.
Como se tratava de uma figura pública que todo o mundo aqui conhece, - o poeta Eduardo Wite – o encontro acabou em jeito de tertúlia com a paragem e intervenção de quem passava para saudar os meus companheiros!

Acabou por ser uma manhã muito divertida!

Como o programa do dia incluía um almoço fora de portas com outros dois velhos amigos – o Remane, outro manhambana de gema e actual director bancário e o José Parente, “rapaz” do meu tempo que foi funcionário da Geologia e Minas, radicado em Portugal e agora de visita a Moçambique e África do Sul onde tem familiares e muitos amigos -, fui ao encontro destes pelo meio dia e abalamos para a Matola.

Escolhido o restaurante, um complexo novo na avenida Abel Batista , com piscinas, esplanadas sob frondosas árvores e muita música, deparamos com um desusado movimento de grupos de clientes e desistimos de ali almoçar.

O rumo seguinte foi a carreira de tiro, no prolongamento da mesma avenida, onde o restaurante “O Manel” se encontrava encerrado!

As horas avançavam e a decisão foi regressarmos à capital. Pelo caminho decidimos ir ao restaurante do Clube Marítimo, entre a cidade e a Costa do Sol. Também ali não fomos bem sucedidos porque era dia de folga do pessoal!

A solução foi encontrada no velho e famoso restaurante da Costa do Sol, sempre abarrotado de pessoas na sua varanda fronteira à praia onde sempre corre uma brisa fresquinha!

Havia uma mesa vaga!

Finalmente, pelas quinze horas, estávamos a saborear um belo almoço (caril de camarão e peixe serra grelhado) e a beber a saborosa 2M bem gelada!

A cavaqueira prolongou-se até às cinco da tarde e para finalizar o programa fomos visitar - eu e o tio Parente – o nosso querido amigo Ricardo Rangel, que felizmente está de novo a atravessar um bom período na recuperação da operação a que recentemente foi sujeito!

O velho leopardo, que vem travando nos últimos anos uma luta sem tréguas contra a doença que o privou já de uma perna, fica sempre muito feliz quando tem amigos à sua volta e desta vez


surpreendeu-nos com a sua boa disposição, contando-nos inclusivamente aquela anedota inspirada no uso dos primeiros telemóveis, em que um infiel marido quando estava com a sua amante recebeu uma chamada da esposa a perguntar-lhe: onde é que estás? E ele responde inadvertidamente: como é que sabes que estou aqui?...


Um dia que terminou em beleza na companhia destes bons e velhos amigos – Ricardo Rangel e a sua querida Beatriz -, e também dos seus simpáticos




netos Ricardo e Khiusha, naquele décimo primeiro andar do prédio da avenida Július Nhyerere (antiga António Enes) de onde se vislumbra o fabuloso cenário da baía com as ilhas da Xefina, dos Portugueses e da Inhaca bem destacadas no horizonte!




FOTOS DOS ENCONTROS



Eduardo Wite, Medina e Celestino, no café do 33 andares



Tio Parente, Remane e Celestino, no restaurante da Costa do Sol



Ricardo Rangel e Celestino




Com o casal Rangel, seu neto Ricardo e Tio Parente




Com o casal Rangel, sua neta Khiusha e Tio Parente


Saudações amigas, aqui da beira do Índico!


Maputo, 27 de Janeiro de 2009

Celestino Gonçalves

6 comments:

Manuel Palhares said...

De novo é só borga com os amigos e ainda bem, pois fico muito contente.
Tu não és cocuana, tu andas mascarado de cocuana, pois para teres todo esse desempenho e energia é preciso ser-se moana: e é isso o que tu és para minha grande alegria!
Um grande abraço do velho da Arroja e amigo ao teu dispor,
MPalhares

chico said...

Foi muito agradável ver o Ricardo Rangel e família, além do Tio Parente que já começa a fazer falta nos almoços aqui em Lisboa.
Envio um forte abraço ao Rangel que este Coca-Cola do hóquei não esquece, e uma montanha de força para o futuro.
Um xowane para o Parente e meus respeitos aos demais.
Francisco Velasco

xico said...

Olá Tio Celestino e Tia Lurdes.
Pelo que constato, a animação continua. Boa! Adorei voltar a vêr as cores do restaurante Costa do Sol. Ficamos mto felizes por vocês e aproveito para enviar um abraço para o Tio Parente e para o Remane.
Beijos e abraços dos amigos:
Francisco, Céu, Cat e Pat

Celestino Ferreira Gonçalves said...

Olá Manel!
Olá Velasco!
Olá Xico!

Obrigado pelas saudações e pelos comentários, sempre simpáticos!

Não me esquecerei das recomendações!

Abraços!
Celestino

carlosschmidt said...

35 graus logo pela manhã...que maravilha, até podiam estar 50 que não me queixo. Essa tua agenda meu "velho" deve estar cheia de amigos para visitar, xiii patrãooo!
Ai esse restaurante na Costa do Sol, que maravilha de serviço, vista panorâmica esplêndida, tudo é bom aí, saudades que eu tenho.
Vai aqui tambem um abc ao amigo Xico Velasco, um dos meus ídolos do hoquei em patins.
"Velho", à dúzia é mais barato, sff!
grande abc e bjos para vós tios Lurdes e Celestino!

Joaquim said...

Caro Celestino
Não me lembro bem de si. O seu maravilhoso blogue trouxe-me recordações há muito adormecidas que me levaram a este pequeno comentário. Parabéns. As fotos desta sua viagem a Moçambique trouxeram-me uma grata alegria principalmente as dos meus "velhos"Amigos,Rangel,Coluna,Manlagatana,Rui Quadros,e Peixe entre outros. Agradeço p.favor que me diga qual o seu e.mail para lhe pedir informações sobre Moçambique. Um abraço. Joaquim Primavera (joaquimprimavera@gmail.com)